A Frente Parlamentar dos Caminhoneiros quer evitar crise e se propõe a auxiliar no diálogo entre a categoria e o governo

A Frente Parlamentar Mista dos Caminhoneiros Autônomos e Celetistas, constituída com 272 Deputados Federais e 22 Senadores da República, por seu presidente Deputado Nereu Crispim, enviou ofício aos chefes dos poderes executivo e legislativo, dando conhecimento de seu interesse em auxiliar a encontrar um acordo entre aos representantes dos caminhoneiros e o Governo Federal, a fim de evitar a paralisação anunciada pela categoria no último sábado (16/10), durante assembleia nacional dos caminhoneiros que aconteceu no Rio de Janeiro.

Foram oficializados o presidente da República, Jair Bolsonaro, O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, o Presidente da Câmara dos Deputados, Athur Lira, o ministro Chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, o Ministro da Economia, Paulo Guedes a Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, o Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque e o Presidente da Petrobrás, General Joaquim Silva e Luna.

No documento é citada a insatisfação da categoria diante das políticas de preços do petróleo e os constantes aumentos. Perante a atual crise econômica que assola o país, mesmo que a motivação dos caminhoneiros seja legítima, uma paralisação dessa amplitude será muito prejudicial à economia, com impacto à inflação e ao desenvolvimento social e industrial.

Você pode gostar...