“Brasil e EUA nunca estiveram tão próximos”, diz Trump ao lado de Bolsonaro

“O Brasil é um grande amigo e nunca estivemos tão próximos quando agora”, afirmou o presidente dos EUA, Donald Trump, ao lado de Jair Bolsonaro (PSL) na Casa Branca no início desta tarde. “Ele quer uma América grande, e eu quero um Brasil grande. O Brasil estará mais do que nunca engajado com os Estados Unidos”, disse Bolsonaro em seu terceiro e último dia de visita oficial em Washington.

Os dois farão uma reunião a portas fechadas, com a presença apenas de intérpretes. Perguntado pela imprensa, Trump afirmou que os EUA apoiarão a entrada do Brasil na OCDE. Sobre a questão da isenção de visto para os americanos anunciada pelo Brasil sem contrapartida dos EUA, Trump desconversou, afirmando que o governo americano está trabalhando na questão para que tudo seja feito com mais facilidade.

“Vamos discutir a questão da Venezuela, comércio, vários temas, o Brasil é um grande amigo”

Antes da reunião, os presidentes fizeram uma breve declaração à imprensa. Trump presenteou Bolsonaro com uma camisa da seleção norte-americana de futebol estampada com o nome “Bolsonaro”. “Ele liderou uma das campanhas mais impressionantes dos últimos tempos”, disse Trump sobre o colega brasileiro. O presidente brasileiro retribuiu com uma camisa verde-amarela estampada “Trump”.

“Depois dos últimos presidentes antiamericanos, o Brasil mudou a partir de 2019, Temos muita coisa para conversar, muito a oferecer. Temos muita coisa em comum e isso é motivo de orgulho”, disse Bolsonaro. Bolsonaro chegou à Casa Branca por volta das 13h (horário de Brasília) de hoje. Ele foi transportado em um carro com bandeiras do Brasil e dos Estados Unidos e foi recepcionado por Trump, sorridente, na porta da Casa Branca. Eles trocaram algumas poucas palavras antes de entrar para o encontro no Salão Oval, do qual participarão apenas os presidentes e intérpretes.

Os presidentes darão uma entrevista coletiva aos jornalistas após a reunião, segundo a programação oficial. Às 12h57, Bolsonaro e uma comitiva de ministros e assessores deixaram a Blair House, residência do complexo da Casa Branca, onde estão hospedados. Um grupo de cerca de 15 brasileiros, com bandeiras do país, esperou pela aparição do presidente brasileiro e dos ministros, dentro os quais o mais esperado era o da Justiça, Sérgio Moro. Os brasileiros gritaram “mito” e “estamos junto” ao presidente. Este sorriso e acenou em retribuição, mas não falou diretamente com o grupo por questão de segurança. Instantes antes, Eduardo Bolsonaro também desceu a escadaria e acenou para os presentes.

Na visita oficial, Bolsonaro usa uma caminhonete preta blindada e com aparato de segurança especial. Ela conta com duas bandeiras hasteadas: uma do Brasil e outra dos EUA. Toda avenida em frente à Casa Branca foi interditada para o trânsito do presidente e sua comitiva. Mais cedo, Bolsonaro se encontrou com o secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), Luis Almagro. Segundo filho e deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), eles discutiram a crise política.

UOL

Você também poderá gostar...