CUSTO DO TRANSPORTE DE CARGAS NO BRASIL ATINGE ALTA RECORDE

Fonte: Relatório Mensal NTC


Os aumentos nos principais insumos consumidos pelo setor: combustível, veículos e mão de obra que chegam a representar 90% dos custos envolvidos informou a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística. O Índice Nacional de Custos de Transporte de Carga Lotação (INCTL) atingiu o seu maior valor em 12 meses desde a sua criação em 2003 atingindo 24,98% e, o  Índice Nacional de Custos de Transporte de Carga Fracionada (INCTF), com 22,32%, só teve um valor superior a 26 anos.

O deputado Nereu Crispim tem um Projeto de Lei (2722/2020) que pede a suspensão de parcelas de financiamentos e empréstimos tomados por caminhoneiros, para a compra de seus veículos e de insumos para a manutenção e conservação do caminhão. Conforme a proposta, o prazo será de 90 dias, prorrogável por igual período e as parcelas serão acrescidas ao final do contrato. Segundo Crispim “é necessário manter condições mínimas de trabalho para o transportador autônomo. Os graves reflexos econômicos da pandemia se agravam cada vez mais, e os custos do transporte de cargas no Brasil atingem altas recordes atualmente. O trabalho dos caminhoneiros sempre foi essencial, principalmente para abastecer hospitais, farmácias e a mesa dos brasileiros, enfatizou”.

Você pode gostar...